GRUPOS DE TRABALHO

Abaixo estão os resumos dos GTs da IV semana de Antropologia da UFS.
Para enviar seu resumo, acesse ESTE LINK.

Para acessar a lista das propostas aprovadas, acesse AQUI.


GT1 – Etnografias do Poder e da Política

Coordenação: Prof. Dr. Wilson Jose Ferreira de Oliveira (PPGA – PPGS/UFS); Bergson Morais Vieira (SEDUC-SE); Mayara Silva Nascimento (Faculdade Ages)

Este Grupo de Trabalho está centrado na análise e na discussão dos problemas teóricos, conceituais e metodológicos relacionados à investigação etnográfica da política nas sociedades contemporâneas com base na apreensão das relações entre as concepções e as gramáticas nativas, os princípios de estruturação, de funcionamento e de intersecção organizacional e os contextos e as lógicas práticas de ação. Os eixos prioritários deste GT são: 1) o papel e o peso dos vínculos e alianças pessoais nas dinâmicas de emergência e de constituição de lideranças e agrupamentos políticos, nas formas de articulação de tais lideranças com organizações partidárias e alianças eleitorais e nas condições e lógicas práticas de funcionamento do Estado; 2) as gramáticas de construção de causas públicas, movimentos sociais, campanhas, mobilizações e eventos de protestos, as arenas públicas constituídas em torno de tais causas, as condições e os repertórios organizacionais, os processos e  as lógicas de engajamento individual; 3) a relação entre mídias sociais e política, os usos das novas mídias digitais nas mobilizações e protestos públicos, o ativismo digital, a mediatização das campanhas políticas, os status dos fake news, a personalização da comunicação política e o populismo digital.


GT2 – Juventudes, Sociabilidades e Relações de Poder

Coordenação:  Mateus Antônio de Almeida Neto (PPGS/UFS); Saionara Andrade dos Passos (PPGS/UFS)

Debatedor: Prof. Dr. Frank Nilton Marcon (PPGA – PPGS/UFS)

Este Grupo de Trabalho tem como objetivo aprofundar o debate no campo dos estudos das juventudes, com atenção especial às conexões com a problemática das sociabilidades e das relações de poder em suas múltiplas dimensões entre os jovens e entre diferentes gerações, passando pelos seus diferentes estilos de vida, suas práticas e representações, bem como por suas relações afetivas, familiares, escolares, de trabalho e de lazer.  Em meio a tais sociabilidades, as juventudes têm vivenciado momentos criativos e ativos, embora, muitas vezes, imersos em condições de vida limitadas pela precarização da construção de suas autonomias, pela pobreza e pela violência, ainda mais prejudicadas pela emergência da pandemia do novo coronavírus, desde início de 2020. Interessam  a este GT trabalhos que discutam: como as juventudes estão construindo formas dissonantes de afetos, contradições, sensibilidades e sociabilidades, que se refletem através de suas agências como produção cultural, na articulação de linguagens, interpretações e mecanismos de interação social, marcados pela plasticidade, pela estilização e pela estetização, correlacionadas à produção e ao consumo cultural, ao uso de novas tecnologias, e à construção de modos e estilos de vida específicos que demarcam seus arranjos, suas formas de resistências e seus entendimentos sobre o mundo durante a etapa da vida em que se consideram e são considerados jovens. Serão receberemos trabalhos com enfoques interdisciplinares que priorizem a perspectiva das Ciências Sociais e que sejam originários tanto de pesquisas acadêmicas teóricas quanto empíricas.


GT3 – Antropologia Visual

Coordenação:  Prof. Dr. Luiz Gustavo Pereira de Souza Correia (PPGA – PPGCINE/UFS) e Paulo Airton Maia Freire (PPGA/UFS)

Este Grupo de Trabalho pretende discutir a imagem como objeto antropológico, bem como debater as potencialidades e os desafios do uso de narrativas imagéticas, sonoras e audiovisuais na pesquisa antropológica. Serão bem vindos relatos de experiências de pesquisa já concluídas ou em desenvolvimento. Entre os eixos de discussão propostos estão: As questões éticas, estéticas e políticas no uso de imagens e sons na pesquisa antropológica; fotoetnografia, filme etnográfico, documentário e a construção do Outro; imagem, memória e emoções; sons e imagens, corporalidades e performances; imagens, imaginação e imaginários; produção, circulação e consumo de imagens na contemporaneidade.


GT4 – Expressões religiosas de presenças africanas e

a epistemologia de terreiro na contemporaneidade

Coordenação: Prof. Dr. Hippolyte Brice Sogbossi (PPGA/UFS), Ìyá Martha Sales (Yalaxé do OmimMafé), Matheus Felipe Bispo dos Santos (PPGA/UFS) e Lina Regina Geralda Nunes dos Santos (PPGA/UFBA)

Este Grupo de Trabalho visa aceitar trabalhos que abordem as práticas afro-religiosas de maneira transversal, colocando em primeiro plano sua complexidade e pluralidade. Os trabalhos devem situar as religiões de matrizes africanas nos atuais temas das múltiplas formas de sociabilidade, denotando os aspectos que explicitam as mudanças e como a contemporaneidade transformam as dinâmicas afro-religiosas. O GT tem como objetivo se afastar das segmentações do modelo ocidental, que separa em subáreas e referenciais teóricos distintos os trabalhos sobre religiosidades afro-brasileiras, e se aproximar da cosmologia das religiões de matriz africana, que tem uma visão de mundo como algo dotado de complementaridade. Este entendimento proporciona um enriquecimento dos pesquisadores e por consequência as relações com os seus interlocutores. Procuram-se trabalhos que relacionem os mais diferentes focos de interesse de pesquisa, como relatos de experiências, gênero e sexualidade, sacralização animal, práticas de resistência e intolerância religiosa/racismo religioso na contemporaneidade.


GT5 – Pesquisas em e com Saúde

Coordenação: Profª. Drª. Patrícia Rosalba Salvador Moura Costa (PPGA/UFS), Anatil Maux de Souza (PPGAs/UFRN) e Uliana Gomes da Silva (PPGA/UFPB)

Com a pandemia de covid-19, medidas de biossegurança, práticas de cuidado e cuidado em saúde assumiram protagonismo na vida das pessoas. A disseminação do contágio aéreo do novo coronavírus por parte do Governo Federal nos diversos contextos socioculturais do país fez com que questões sanitárias ultrapassassem seus efeitos meramente informacionais descortinando uma série de retrocessos que apontam para uma estagnação das políticas de atenção e cuidado saúde. É neste momento que arranjos coletivos surgem como respostas sociais ao sofrimento psíquico e às enfermidades, requerendo dessas pessoas a construção de estratégias e itinerários que possibilitem mudanças das condições adversas de doença, adoecimento ou saúde. A proposta deste GT é, portanto, reunir discussões teórico-metodológicas sobre como realizar pesquisas sociais na área da saúde; promover o intercâmbio entre saberes e experiências de pesquisa em instituições ou programas de saúde; discutir métodos e técnicas que explorem criativamente metodologias nas pesquisas em saúde. Aflição, sofrimento e doença são categorias que aparecem de diferentes formas. Como elas aparecem? De que forma a/o pesquisadora/or teve acesso a esta ou aquela informação? Quais relações estão sendo construídas? O que mudou com a pandemia? A discussão metodológica-teórica busca compreender aspectos éticos implicados em investigações referidas em instituições, programas, políticas, condições, contextos, itinerários e sujeitos nos seus múltiplos envolvimentos com processos de saúde e adoecimento.


GT6 – Culturas Populares, Rituais, Festas e Patrimônio

Coordenação: Prof. Dr. Leonardo Leal Esteves (DAM/UFPE – PPGA/UFS)

Experiências sociais que são consideradas referências centrais para diversas comunidades vêm sendo reunidas analiticamente em torno de categorias como “culturas populares”, “rituais”, “festas” e “patrimônio”. O objetivo deste GT é estimular a apresentação de estudos em andamento e fomentar o debate entre pesquisadores que, a partir de diferentes perspectivas teóricas e metodológicas, têm se debruçado sobre estas categorias na contemporaneidade, tendo como referência distintos arranjos coletivos, práticas e saberes tradicionais, performances e eventos cíclicos que marcam de modo significativo a vida cotidiana em diferentes localidades do Brasil. Procura-se também estimular análises em torno dos resultados, perspectivas e desafios em torno das políticas culturais, dos processos de patrimonialização e das experiências de musealização que foram instituídas neste campo nas últimas décadas, bem como estudos sobre os desafios enfrentados pelos diferentes atores sociais envolvidos com este campo frente à pandemia da Covid19.


GT7 – Povos tradicionais e coletivos não humanos

Coordenação: Genílson Conceição Ferreira (INUMA/PPGA/UFS) e Júlia Fregni Lins (INUMA/PPGA/UFS)

Debatedores: Prof. Dr. Ugo Maia Andrade (INUMA/PPGA/UFS) e Prof. Dr. Beto Vianna (INUMA/PPGA/UFS)

Pesquisas em curso ou recentemente finalizadas sobre comunidades indígenas, quilombolas e tradicionais, e sobre a participação de coletivos não humanos – discursos, artefatos, seres vivos e fenômenos naturais e sobrenaturais – na construção da socialidade. Este GT irá acolher temas de pesquisa que invistam, de alguma forma, nos modos desses coletivos se engajarem no ambiente, nos processos de territorialização, e na configuração de etnopolíticas e cosmopolíticas.


GT8 – Cidades, Sociabilidades Públicas e Memórias

Coordenação: Prof. Dr. Ulisses Neves Rafael (UFS/PPGA) e Victor Marcell Barbosa (UFS/PPGA)

Este Grupo de Trabalho busca proporcionar um debate acerca de questões relativas ao campo do conhecimento antropológico que se convencionou chamar de estudos urbanos e que envolve uma gama variada de fenômenos. As reflexões partem das consagradas contribuições teóricas sobre as cidades, espaço privilegiado de experiências, mas também de produção de sentidos, memórias e representações. Trata-se também de lugares de tensões e arranjos políticos reconfigurados no campo das sociabilidades urbanas. Pretende-se trazer ao debate as trajetórias e as experiências de pessoas e de grupos que performatizam nesse espaço marcado por disputas, ambivalências e contradições.

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: