MOSTRA AUDIOVISUAL

Mostra Elas por Trás das Câmeras – Especial Sergipe

Semana de Antropologia da UFS

Canal do YouTube –  PPGA/UFS
4 a 6 de maio

A Mostra Elas por Trás das Câmeras, que teve sua terceira edição em janeiro deste ano, realiza uma edição especial online que contará com curtas sergipanos. A mostra integra a terceira Semana de Antropologia da UFS e exibirá 10 curtas de dirigidos ou codirigidos por mulheres vinculadas à Universidade Federal de Sergipe. A curadoria foi realizada pelas professoras Danielle de Noronha e Maíra Ezequiel e tem o objetivo de visibilizar e fomentar o cinema produzido e protagonizado por mulheres.

A Água Não Flui Para Trás (Dir: Dominique Mangueira)
Sinopse: Pequenas encenações, performances, imagens de arquivo, fragmentos narrativos, reflexivos e poéticos acerca da infância, da maternidade e do isolamento social, abordados a partir do olhar subjetivo da diretora.

A Viagem de Bruna Bola (Dir. Milena Araújo e Vivian Oliveira)
Sinopse: Bruna é uma bolinha vermelha astronauta prestes a embarcar em sua primeira viagem espacial. Cumprimentando o presidente com uma leve inclinação para frente, que é como as bolas se cumprimentam no planeta Bolar, Bruna se despede do seu mundo, enquanto caminha mais perto de seu sonho intergalático, viajando através das estrelas e se aventurando em sua imaginação. A viagem de Bruna Bola é resultado do trabalho final da matéria de Animação I, do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal de Sergipe, finalizado em março de 2020.

Abjetas 288 (Dir. Julia da Costa e Renata Mourão)
Sinopse: Em um futuro distópico, Joana e Valenza fazem uma jornada à deriva por uma cidade nordestina. Através da música eletrônica e trilha ruidosa, as personagens nas andanças pelas ruas, performam o que sentem enquanto vivem nessa sociedade tentando entendê-la. Abjetas 288 trata sobre territorialidades, identidades e meritocracia, tudo com um tom irônico e se utilizando de elementos alegóricos que dialogam com a história popular de Aracaju.

Babá Eletrônica (Dir. Carolen Meneses e Sidjonathas Araújo)
Sinopse: O curta mostra como as crianças estão à mercê da vigilância social para seguirem padrões que foram historicamente construídos na sociedade.

Em Concha (Dir: Clécia Borges)
Sinopse: Sob o olhar voltado para o isolamento social, transcreve-se através de imagens e uma narrativa poética as “frestas” que aparecem como ponto de fuga e de criação nesse momento.

Mariana (Dir. Milena Araújo)
Sinopse: Após Rita, mãe de Mariana, fugir de casa sem deixar explicações, a moça, de apenas 16 anos, se torna a única mulher a trabalhar na casa e no bar de seu pai, espaço sufocante e masculino. Assume também a função de escrivã de cartas e encomendas para as pessoas da comunidade onde mora, tarefa antes prestada a bom gosto por sua mãe. É através deste espaço entre as cartas e o bar que Mariana entra em contato com as diferentes razões da fuga de Rita, e começa a traçar também o seu próprio destino.

Não é Sobre Beleza (Dir. Amanda Nascimento, Céu Lima, Fannie Guimarães, Michael Roan e Matheus Souza)
Sinopse: É um projeto documental que propõe uma análise sobre o que é belo e explana a disparidade entre o caos do centro urbano e os profissionais de estética neste meio.

Ocupe a cidade (Dir. Thais Ramos e Kaippe Reis)
Sinopse: Sinopse: O documentário aborda as ocupações culturais em Aracaju tendo como base o evento Ensaio Aberto, que aconteceu entre 2015 e 2016.

Pattaki (Dir. Everlane Moraes)
Sinopse: Na noite densa, quando a lua sobe a maré, os seres presos no cotidiano da escassez de água, são hipnotizados pelos poderes de Yemaya, a deusa do mar.Proibido pisar na grama (Dir. Letícia Lima de Almeida)
Sinopse: “Proibido pisar na grama” é um curta documentário que aborda as questões e posições que o racismo estrutural e institucional impõe à população negra brasileira, como o condicionamento ao trabalho braçal, a criminalidade e a falta de acesso a educação, é também uma mensagem de resistência

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: